img4.jpg

  pag inicial Botao EPR corpo docente administracao ft unb

A Engenharia de Produção

A Profissão

Pós-Graduação

Sobre a Pós-Graduação

 

O Curso de Engenharia de Produção na UnB

O capital fundamental das organizações, sejam elas órgãos de Estado – governo – ou empresas – privadas ou estatais – é o conhecimento, o qual, aliado à estratégia e aos seus processos de produção irá viabilizar os produtos demandados pela Sociedade, sejam eles bens tangíveis ou intangíveis fisicamente. A Engenharia de Produção, ao voltar a sua ênfase para características de produtos (bens e/ou serviços) e de sistemas produtivos, vincula-se fortemente com as idéias de projetar e viabilizar produtos e sistemas produtivos, planejar a produção, produzir e distribuir produtos que a sociedade valoriza.

 

Atualmente, a parcela correspondente a “serviço” da composição “bens + serviços” vai assumindo uma proporção cada vez maior do valor dos produtos. A eficácia vai tomando gradativamente o lugar da eficiência, exigindo que seja dada uma atenção cada vez maior à atividade de prestação de serviços. Na produção não são apenas os fatores puramente econômicos que importam, cada vez mais os fatores ambientais, políticos, culturais e mesmo psicológicos interferem e passam a condicionar a produção.

No Distrito Federal, o setor de serviços ocupa uma posição de destaque, tanto na área privada como, especialmente, no setor público. Isto proporciona uma excelente perspectiva para a atuação de engenheiros de produção com um perfil profissional que lhes permita atuar crítica e criativamente em atendimento às demandas da Sociedade, identificando e resolvendo problemas, considerando os seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais e com visão ética e humanista. Ao colocar a ênfase em “serviço” no curso de Engenharia de Produção, a UnB cumpre o objetivo de seus fundadores de se tornar um centro capaz de prestar assessoramento à alta administração do País.

A região Centro-Oeste apresenta uma grande demanda de profissionais de Engenharia de Produção para atuar em áreas importantes, especialmente em:

  1. Serviços, os governos federal e locais são carentes de recursos humanos com qualificação técnica para preparação, análise e acompanhamento de projetos dos próprios governos ou de instituições privadas;
  2. Agricultura, vocação indiscutível da região, não só para a alimentação, mas também na produção de biocombustíveis;
  3. Logística, face à grande importância para o escoamento da produção agrícola, seja na infra-estrutura de transportes seja nas facilidades de armazenamento;
  4. Construção civil, que ocupa o segundo lugar na oferta de empregos;
  5. Consideração de riscos, de relevância cada vez maior dentro de uma abordagem sistêmica, em todas as atividades da sociedade, especialmente nas ações do setor público;
  6. Indústria, embora com uma participação menor na economia da região, este setor tem se fortalecido com a vinda para o centro-oeste de importantes empresas industriais.

Perfil desejado do egresso da UnB

O campo de atuação do Engenheiro de Produção vem se ampliando cada vez mais. Da atuação gerencial quase que exclusiva no “chão de fábrica”, como uma habilitação específica vinculada à base tecnológica dos ramos tradicionais da Engenharia, a Engenharia de Produção evoluiu para uma formação plena com características próprias e com atuação mais abrangente nos coletivos humanos de uma maneira geral.

 Sem fugir das características gerais do perfil de Engenharia de Produção já estabelecidos, o foco maior do curso é em serviços, permitindo que egresso do curso de Engenharia de Produção da UnB obtenha uma formação que o habilite a identificar, caracterizar e tratar adequadamente as formas de criação de valor associadas aos espaços econômico, político e cultural da sociedade, levando em conta os diferentes patamares de convivência pessoal, institucional e em rede.

 Dada a posição de destaque do setor de serviços no Distrito Federal, na área privada e, especialmente, no setor público, o egresso da UnB deverá ter condições de focar primariamente a produção de serviços, com ênfase em serviços públicos, atuando crítica e criativamente na identificação e solução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, ambientais e culturais, com visão ética e humanista.

 Nesse contexto, o egresso da UnB deverá ser capaz de entender não só a produção e alocação de bens e serviços por agentes privados e públicos no plano econômico, mas também a produção e alocação de comandos sancionáveis no plano político, nas esferas do legislativo, executivo e judiciário, nos níveis federal, estadual e municipal. Deverá ainda ter capacidade de abordar os problemas a vista da realidade tecnológica, econômica, política e cultural do país e sua inserção no contexto mundial, incluindo o papel em instituições como Mercosul, OMC, OIT, UNESCO, etc. Embora o foco maior do curso seja em serviços, a formação básica do egresso permitirá que atue também nos processos de produção física, sejam de manufatura ou de processamento.

 Em termos comportamentais, será dado ênfase ao trabalho em equipe, inclusive o desempenho de diferentes papéis na equipe.

 A Organização do Curso

As disciplinas a serem cursadas para integralização das 3.600 h de atividades curriculares, organizadas por temas afins e distribuídas ao longo dos semestres conforme mostrado no quadro abaixo. As disciplinas podem ter caráter obrigatório, optativo, de módulo livre e estágio supervisionado, além de atividades complementares.

 estrutura blocos

 

As atividades complementares são compostas pela participação do aluno em projetos de iniciação científica, projetos de extensão de ação contínua, projetos multidisciplinares, projetos comunitários, participação em empresas juniores e outras atividades de empreendedorismo. Poderá ser lançado um crédito para cada quinze horas de participação nessas atividades, no limite de dois créditos por período e quatorze créditos do total para integralização dos créditos do curso.

A integralização dos 240 créditos exigidos para a formatura é feita em doze semestres. Isto corresponde a uma carga didática de 4 horas de aulas noturnas de segunda a sexta-feira, perfazendo uma carga média de 20 créditos por semestre.

Eventualmente poderão utilizadas 4 horas nos sábados pela manhã para complementar e/ou aumentar a carga horária do semestre. Embora o currículo seja planejado para permitir a conclusão do curso em doze semestres com aulas somente no período noturno, será possível a antecipação da graduação para os alunos que tenham possibilidade de ampliar a sua carga didática cursando disciplinas no período diurno.

O Curso de Engenharia de Produção da UnB funciona no período noturno de segunda a sexta feira, com aulas das 19:00h às 20:40h e das 20:50h às 22:30h, e aos sábados no turno matutino, com aulas das 08:00h às 09:40h e das 10:00h às 11:40h, de conformidade com a regulamentação da UnB.

A Matriz de Conteúdos do Curso

A Matriz de Conteúdos do Curso mostra conceitualmente a distribuição da carga didática curricular, em horas e em percentuais do total de horas do curso, de forma a atender tanto as Diretrizes Curriculares como exigências estabelecidas por normas internas da UnB e da Faculdade de Tecnologia.

 matriz consolidao epr

Clique na figura para ampliar.

 

VEJA:

 

 

Acesso Rápido

bce

aprender

unbciencia

lattes 2

peridicos capes

 logo capes

cnpq

fap df

abepro

logo grupo gesto peq

links

 

Universidade de Brasília- UnB - Faculdade de Tecnologia - FT- Núcleo de Engenharia de Produção - NEPR Campus Darcy Ribeiro Asa Norte - Brasília DF

CEP 70904-970 DF Brasília
Telefones: (55 61) 3307-2865 Fax: (55 61) 3307-3930